O Centro de Produção de Mangualde detido pela Stellantis tornar-se-á na primeira fábrica em Portugal a produzir furgões compactos totalmente elétricos a bateria em grande série, das marcas Citroën, Fiat, Opel e Peugeot, a partir de 2025. O anúncio foi feito esta sexta-feira por Carlos Tavares, CEO da Stellantis, por ocasião da visita às instalações daquela unidade por parte do Presidente da República,  Marcelo Rebelo de Sousa, do Primeiro-Ministro, António Costa, e do Ministro da Economia e do Mar, António Costa Silva.

A importância desta visita é tanto ou mais compreensível quanto se sabe que a Stellantis detém a liderança na área dos veículos comerciais ligeiros, nos furgões elétricos, com aproximadamente 43% de quota de mercado na Europa. A eletrificação em todo o portefólio de produtos Stellantis sustenta as ambições do plano estratégico “Dare Forward 2030”.

Foi assim sobre esta realidade que Carlos Tavares, CEO da Stellantis, anunciou a entrada do Centro de Produção Stellantis de Mangualde numa nova era com a produção de veículos comerciais ligeiros elétricos a bateria (BEV), no início de 2025, produzindo os modelos Citroën ë-Berlingo, Peugeot e-Partner, Opel Combo-e e Fiat e-Doblò, nas versões de comerciais ligeiros e de passageiros. Mangualde será, assim, a primeira unidade industrial portuguesa a produzir carros totalmente elétricos a bateria em grande série, para os mercados doméstico e de exportação, desde o lançamento.

230331 image 2

230331 image 3

A visita dos governantes portugueses aconteceu no âmbito da iniciativa do Governo "PRR (Plano de Recuperação e Resiliência) em Movimento”, surgindo a Stellantis neste contexto já que lidera uma das agendas mobilizadoras para a inovação empresarial com o projeto “GreenAuto”, que reúne um consórcio de 37 entidades parceiras, também presentes no evento, e que representa um investimento conjunto de 119 milhões de euros. 

“Temos o orgulho de anunciar que Mangualde entrará numa nova era com a produção em grande série de furgões elétricos a bateria em Portugal para fornecer as soluções indispensáveis aos nossos clientes empresariais”, afirmou Carlos Tavares, CEO da Stellantis. “Impulsionar a experiência de fabrico de Mangualde para construir veículos elétricos a bateria é fundamental para a descarbonização contínua das nossas frotas e mais um passo numa altura em que trabalhamos para alcançar um ‘mix’ de 40% de zero emissões até ao final da década”.

Em 2022, a Stellantis foi líder do mercado de veículos comerciais ligeiros BEV na Europa, com uma quota de mercado na ordem dos 43%. Em 2022, a Empresa foi, também, líder de vendas BEV no mercado português com uma quota de 22%; na venda de veículos comerciais ligeiros com 43%; e na venda de comerciais ligeiros BEV com uma quota de 54%.

A evolução do Centro de Produção de Mangualde 

A fábrica da Stellantis em Mangualde, que no ano passado celebrou o seu 60º aniversário e que foi a primeira fábrica de montagem de automóveis em Portugal, produziu até à data mais de 1,5 milhões de veículos. Atualmente, quase um em cada quatro veículos produzidos em Portugal provêm da linha de produção de Mangualde, numa unidade em que o arranque da produção da atual geração de veículos teve lugar em 2018.

Este anúncio relativo à produção de furgões comerciais elétricos assegura o futuro deste centro fabril de produção e confirma a sua importância para a economia, o Produto Interno Bruto e as Exportações portuguesas, bem como para o emprego e o desenvolvimento do tecido empresarial e industrial da região. Esta nova era de produção verá uma transformação da fábrica de Mangualde “preparada para o futuro”, com novas instalações, tanto na área de montagem como na de ferragem, a otimização da área industrial e a criação de uma nova linha de montagem de baterias.

A Stellantis em Mangualde tem investido sucessivamente na modernização e atualização das suas instalações e processos produtivos, ao mesmo tempo que tem reforçado, cada vez mais, o seu compromisso para com o ambiente e para com a redução das emissões, para além de fazer uma forte aposta na inovação. Em apoio ao objetivo da Stellantis de alcançar a neutralidade carbónica até 2038, a fábrica de Mangualde completou a segunda fase do seu parque de energia solar. Uma vez concluído, cobrirá até 31% das necessidades anuais de energia elétrica da fábrica, permitindo evitar 2.500 toneladas de emissões anuais de CO2, o equivalente à captura de CO2 por cerca de 16.000 árvores.

230331 image 4

230331 image 5

A fábrica de Mangualde ambiciona mais projetos na área da energia verde e do armazenamento de energia, entre os quais um em colaboração com a Câmara Municipal de Mangualde e com empresas de proximidade que podem beneficiar da captação desta energia renovável.

Atualmente, a fábrica de Mangualde produz veículos comerciais ligeiros e versões de passageiros dos modelos Citroën Berlingo/Berlingo Van, Fiat Doblò, Opel Combo/Combo Cargo e Peugeot Partner/Rifter, encontrando-se a Stellantis no momento presente a investir mais de 30 mil milhões de euros até 2025 em eletrificação e software para oferecer veículos BEV que vão ao encontro das necessidades dos clientes.

Esta decisão é um componente chave do plano estratégico “Dare Forward 2030”, que prevê a redução drástica em metade das emissões de CO2 até 2030, em comparação com as métricas de 2021, e uma neutralidade carbónica até 2038, com uma compensação percentual de apenas um dígito para as restantes emissões. Outros objetivos estratégicos do plano “Dare Forward 2030” visam também que 100% das vendas Stellantis de automóveis de passageiros na Europa e 50% das vendas de automóveis de passageiros e camiões ligeiros nos EUA sejam BEV até ao final da década. É ambição da Stellantis duplicar as receitas líquidas até 2030 (versus 2021) e sustentar margens de lucro operacional ajustado de dois dígitos ao longo da década, bem como tornar-se líder na satisfação do cliente para produtos e serviços em todos os mercados, até 2030.

JR/LusoMotores
Pin It