João Ramos e Pedro Ré, ao volante de uma Toyota Hilux T1+, garantiram o triunfo na Baja TT Montes Alentejanos| ESC Online 2023, afirmado após a vitória no troço cronometrado de 145,50 km realizado em pistas alentejanas de Beja. Ao concluir a prova com uma vantagem de quase dois minutos para a Toyota Hilux de Tiago Reis e Válter Cardoso, vencedores em T1, foi fechada a classificação da prova que permitiu a subida ao degrau mais baixo do pódio a Armindo Araújo e Luís Ramalho, dupla que este ano conjuga a sua presença no Nacional de TT com o Nacional de Ralis e que aqui garantiu o triunfo na Categoria T3.

Refira-se que para além de Armindo Araújo e Luís Ramalho, foram Luís Portela Morais e Tiago Neves, em Overdrive OT3, e João Dias com João Miranda, em Can-Am, quem terminaram a prova nos lugares cimeiros da Categoria T3, por esta ordem, completando também o Top 5 desta Baja TT Montes Alentejanos à geral.

Lino Carapeta/ Rui António (Ford Ranger), Miguel Casaca/João Luz (Volkswagen Amarok) e Edgar Reis/Tiago Neves ((Toyota Hilux) classificaram-se nas posições seguintes à geral, numa prova em que não chegaram ao fim Petr Hozác/Mareck Sykora (Mini Paceman) e Lourenço Rosa/Joaquim Dias (Toyota Hilux T1+), duplas que abandonaram depois de terem ocupado posições do topo na classificação.

João Ramos pôde assim festejar a vitória de uma prova em que se apresentou com um carro novo e ainda sem grande conhecimento do mesmo, como referiu: “Este carro é completamente diferente e tem particularidades mais difíceis, porque transporta uma massa maior de um lado para o outro, um efeito de rooling, pelo seu curso de suspensão e rodas de maior dimensão. Mas, acima de tudo, requer quilómetros e adaptação. O meu objetivo final para esta prova era terminar e ele foi cumprido. Claro que a vitória em todas as etapas foi a cereja no topo do bolo. Reuni o máximo de pontos e com isso damos um animo enorme a toda a equipa para uma temporada e um Campeonato muito bom.”

“Não ambicionava ganhar, atendendo a que tanto o carro como o navegador eram novos e, portanto, havia muito para descobrir, mas o certo é que acabei por terminar a prova no lugar mais alto do pódio. Foi uma excelente vitória, arrecadando o máximo de pontos por vencer todos os setores seletivos. Em suma, tanto a minha equipa [Toyota Gazoo Racing Caetano Portugal] como a Overdrive e ainda a equipa do Benediktas Vanagas, o piloto que me emprestou a Hilux T1+, retiraram muitas ilações do trabalho que temos pela frente de modo a adaptá-la às diferentes condições de terreno das próximas provas”, sublinhou João Ramos.

Quanto ao campeonato, tem ainda muitas incógnitas pela frente para João Ramos, nomeadamente pela aposta na nova Toyota Hilux T1+ no CPTT: “Como já referi, sei qual o trabalho a fazer na Hilux T1+, mas também desconheço o que poderei encontrar pela frente nas próximas provas. Oxalá os organizadores acompanhem a evolução do TT e apresentem percursos adequados a estes carros, pois é evidente a sua espetacularidade e desse modo teremos mais retorno e mais público nas provas. Portanto, espero bem que não se fechem em guetos, em vez de evoluírem os percursos das provas. Com estes carros, andar em 2ª e 3ª velocidade por estradas estreitas é arruinar as mecânicas, por isso estou na expetativa. Ainda agora em Beja o diretor da espanhola Baja Extremadura garantiu-me que nos reconhecimentos da prova está a utilizar na sua pickup uma vara com dois metros e meio na dianteira para assegurar que o traçado nunca terá largura inferior a esse valor. Tenho algum receio do que possa vir aí, mas vamos aguardar.”

Nota para os triunfos nas restantes categorias para Rui Sousa/Carlos Silva (Isuzu DMax) em T2, Rui Farinha/Rui Pita (Can-Am), nos T4, Nuno Tordo/Filipe Salgueiro (Nissan Navara) em T8 e Cesário Santos/Alexandre Gomes (Nissan Navara), nos T9.

O Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno AM|48 vai prosseguir em Espanha, nos próximos dias 15 e 16 de abril, com a Baja TT Dehesa Extremadura, prova da Taça do Mundo FIA de TT.

Pin It